domingo, 4 de dezembro de 2011

Caiu mais um!

A presidente Dilma Rousseff  informou neste domingo que o ministro demissionário do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), "continuará dando sua contribuição ao País", ainda que fora do primeiro escalão do governo federal.
Segundo a nota, "a presidenta agradece a colaboração, o empenho e a dedicação do ministro Lupi ao longo de seu governo e tem certeza de que ele continuará dando sua contribuição ao País".
Não é por nada, não, senhora presidenta, mas o povo brasileiro prefere abrir mão dessa contribuição. Deixemos o agora ex-ministro, seus (mal)feitos e suas declarações infelizes em paz. Assim teremos nós, também, um pouco de sossego! Ao menos até balançar e cair mais um ministro.

doutor Sócrates

Aos 57 anos, morreu hoje Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira Oliveira. O nome extenso foi abreviado pela torcida brasileira para "doutor Sócrates". Grande atleta, detentor de inúmeros títulos, trouxe muitas  alegrias aos torcedores. Segundo o site do Flamengo, foi aclamado e conhecido mundialmente pela habilidade e intimidade com a bola.
Admitiu publicamente o uso abusivo do álcool, que lhe acarretou a cirrose que o matou precocemente.
Foi enterrado hoje, em meio às comemorações do Corinthians pela conquista do penta campeonato brasileiro. Em meio à alegria de muitos, a tristeza de grande número de fãs de um grande jogador.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

De novo, números

De acordo com a revista Veja e com o portal Terra de notícias, nascem hoje os bebês que iniciam o  número sete bilhões, em relação aos  habitantes deste planeta.
Lembro-me de ter aprendido, no terceiro ano do Grupo Escolar, que a Terra tinha, na ocasião, 3 bihões de moradores. Ainda estou aqui e o número já duplicou e hoje acrescenta-se a ele mais um bilhão de terráqueos. Haja comida, água potável, medicina, educação e afeto para tanta gente!
Se quiser saber que número era, ao nascer, e que número você  é desde o início do aparecimento do homem na Terra, acesse http://g1.globo.com/platb/bom-dia-brasil-especial/.
É bem interessante saber.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Números ... e números

      Números exercem fascínio sobre a mente humana. Alguns mais que outros. O número phi, por exemplo, representado por 1,618, chamado de "divina proporção", aparece na natureza e nas galáxias: na distribuição das estrelas em torno de um astro principal, no número de machos em relação ao de fêmeas, numa colmeia, nas espirais da concha de um caracol, na proporção entre a altura de um homem e a distância entre seu umbigo e o chão. Inúmeros outros exemplos aguçam a curiosidade de despertam as mentes para a beleza da matemática.
     Por outro lado, números há que nos fazem chorar. A capa da Veja edição 2240, de 26 de outubro, anuncia: em um ano, a corrupção institucionalizada na política brasileira desviou para o ralo da impunidade e da ganância o espantoso número de 85 000 000 000 de reais.
     Se a matemática é neutra, nossa indignação não precisa ser. Ela pode ser pessoal, emocionada e emocionante. Chega de ficar de boca fechada. É chegada a hora de dizer "basta!", do modo que pudermos: na igreja, na comunidade, nas escolas, nos meios de comunicação, em blogs famosos ou pouco conhecidos. Da soma de muitas vozes pode-se fazer uma sinfonia.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Para não se arrepender de nada

Uma médica de nome Bronnie Ware trabalha com pacientes terminais e teve a sensibilidade de perguntar e anotar os possíveis arrependimentos que cada um deles teria, ao final da vida.
O arrependimento mais frequente foi não ter tido a coragem de viver a vida a partir dos próprios sonhos, objetivos, uma vida para si próprios, e viver a vida que os outros esperavam ou exigiam deles.
A seguir, os arrependimentos dizem respeito a ter trabalhado demais, não ter expressado mais os sentimentos, ter pouco contato com os amigos e não ter-se permitido ser mais feliz. Segundo a médica, muitos só se dão conta no leito de morte  de que a felicidade é mais uma questão de escolha do que de destino.
Então, vamos ser mais felizes a partir de agora para não nos arrependermos mais tarde? E que tal também dizer aos nossos amores ou ao amigo mais próximo o quanto eles são importantes em nossas vidas?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Gargalhar libera substâncias químicas analgésicas

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Oxford mediu as reações de voluntários à dor (colocando uma sacola de gelo sobre o braço para medir quanto tempo aguentavam). Divididos em dois grupos, um deles assistiu a um vídeo de comédia de 15 minutos; o outro assistiu a uma filmagem entediante. Novamente submetidos à dor, os que tinham dado gargalhadas foram capazes de suportar até 10% mais de dor do que antes de rir. Os outros não tiveram modificação na capacidade de suportar a dor.
O coordenador da pesquisa, professor Robin Dunbar, acredita que uma risada incontrolável libera endorfina, a substância química que gera euforia e atua como analgésico. "É o esvaziamento dos pulmões que causa o efeito", disse o pesquisador à BBC.
Atenção: a pesquisa indicou que uma risadinha contida não basta; é preciso uma boa gargalhada. E nem todos os programas de comedia têm o mesmo resultado. Humor bobo, como o de programas como Mr. Bean e do seriado Friends, parece ser mais eficaz.
Para o professor Dunbar, a pesquisa pode ajudar a explicar o papel do riso no estabelecimento da sociedade humana. Há dois milhões de anos atrá, enquanto todos os primatas eram capazes de rir, só os humanos eram capazes de gargalhar e, portanto, liberar endorfina através do riso. A teoria do professor Dunbar é que a endorfina favoreceu a criação de laços sociais entre os indivíduos da espécie.
O que estamos esperando? Vamos todos tentar gargalhar com o humor (mais que bobo) da Zorra Total, do Chaves  ou da Praça é Nossa e estreitar nossos laços culturais!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Tokkõtai

Eu estava acostumada a pensar nos pilotos-suicidas do Japão, os kamikazes, como voluntários imbuídos de enorme patriotismo, entregando, com alegria e honra, a vida pela Pátria.
A revista Piauí de outubro traz matéria que me fez mudar os conceitos antigos.
Os pilotos na verdade eram jovens universitários, escolhidos entre os melhores alunos. Cerca de 3 mil soldados-estudantes formavam, segundo a revista, "um grupo excepcional: cosmopolistas e cultos, dados a reflexões profundas, fruto do exigente currículo japonês".
Uma autora americana reuniu num livro (Kamicake Diaries: Refletions of Japonese Studente Soldiers) trechos de diários desses combatentes, mostrando a perplexidade, a angústia da espera, a saudades dos amores, em pungentes declarações. Seleciono algumas: "rezo para que chegue logo o dia em que não devamos matar inimigos que não conseguimos odiar". "Quanto tempo vou viver?". "A morte é imoral e viver é absolutamente moral"."Com os preparativos para a decolagem final, sinto um peso dentro de mim. Acho que não conseguirei olhar a morte na cara. Desespero, desespero  é pecado"
A idiotice das guerras foi ensinada a esses moços pela pedagogia mais perversa: pela perda da vida.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Homenagem a um gênio

Todos os meios de comunicação ainda estão dando destaque à notícia da morte de Steve Jobs, o visionário e genial  revolucionador da tecnologia  contemporânea.
 Uma matéria lida fez interessante analogia com a fruta que representava sua empresa. Segundo o articulista, três maçãs marcaram e modificaram o mundo: a do jardim do Éden, a de Newton e a de Jobs.
Realmente, se alguém que estivesse em coma há algumas décadas e voltasse à vida, ao ver seus brinquedinhos maravilhosos nas mãos de tanta gente, com certeza exclamaria: _ Por aqui passou um gênio!

domingo, 2 de outubro de 2011

Quem julga os maus julgadores?

Está desanimadora a leitura de "Veja", edição 2237, de 05 de outubro. Extensa reportagem mostra casos escabrosos de crimes cometidos por juízes e desembargadores. Na página "Veja essa" a corregedora nacional Eliana Calmon resume a situação: "a magistratura hoje  está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga".
Discute-se atualmente a quem caberia o poder de julgar e condenar esses profissionais, encarregados de julgar e condenar. Há resistências, constrangimentos, corporativismo e outros entraves. E até que se decida quem julgará tais crimes, os criminosos de toga recebem como pena uma aposentadoria precoce, com salários integrais. Ou seja, nós pagamos, mensalmente, a alguns deles, mais de 20 mil reais para que fiquem em casa!
No meu tempo de menina, quando a situação ficava muito complicada e não havia a quem recorrer, usava-se a expressão "queixar-se ao bispo". Parece que estamos agora na contingência de reclamar ao papa dos legisladores. Quem será ele?

Lave a boca com sabão, Rafinha!

O "humorista" Rafinha, do CQC, acaba de inserir mais uma pérola no seu rosário de frases idiotas. Comentando a gravidez da cantora Wanessa Camargo, ele declarou, no ar, que "comeria ela e o bebê"!
As outras contribuições do apresentador dizem respeito a estrupo ("Mulheres feias deveriam agradecer caso fossem estupradas, afinal os estupradores estavam lhes fazendo um favor, uma caridade") e a insulto público (ele disse, sobre a apresentadora  Daniella Albuquerque: “se fosse eu, naquele momento, já dava uma cotovelada e dizia: ‘É octógono cadela! Põe esse nariz no lugar’).
Gostaria de perguntar ao autor de tais imbecilidades se ele aceitaria esse tipo de "brincadeira" com sua mãe, irmãs ou namorada.
Quem atinge um alto grau de popularidade e lida com formação de opiniões deve ser extremamente cauteloso no uso das palavras. Afinal, já diziam os orientais, a palavra dita nunca mais é recuperada. E gentileza e respeito para com as pessoas cabem em qualquer lugar.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Para se pensar a respeito

E por falar em teorias de conspiração, o vídeo abaixo vai deixar muita gente com uma pulga atrás da orelha... Afinal, o que teria acontecido ao prédio número 7 do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001? Ele foi implodido? E o que significaria, se a resposta fosse sim? Veja a matéria e tire suas próprias conclusões.

http://www.youtube.com/watch?v=laS_sia9U9Q&feature=youtu.be

domingo, 4 de setembro de 2011

Deu na "Folha"

A leitura do jornal “Folha de S. Paulo” de hoje nos informa, logo na manchete principal: “Brasil perdeu uma Bolívia em desvios de cofres públicos”. Segundo a matéria, pelo menos 40 bilhões de reais foram desviados, em sete anos, dos recursos federais.
Infelizmente, outras más notícias nos aguardavam no quesito corrupção: a colunista Danuza Leão, em crônica muito elegante e gostosa de ler, lamentava a absolvição de Jaqueline Roriz por seus nobres colegas (comparsas?) de Legislativo Federal.
E no caderno “Cotidiano”, a própria absolvida choramingava: “Lamentavelmente, vivemos um período em que parcela da mídia devora a honra de qualquer pessoa”. No caso da deputada pelo PMN do Distrito Federal as tais “parcelas da mídia” devem estar em jejum, pois honra ela não tem para matar a fome de ninguém!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O imposto nosso de todo dia

A cada artigo que compramos, está embutida uma porcentagem grande de impostos.
Veja só alguns, calculados pelo IBPT(Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário): motocicleta acima de 125 cc, 49,78%; passagens aéreas, 8,65%; medicamentos, 36%, conta de água, 29,83%; conta de luz, 45,81%; conta de telefone, 47,87%; cigarro, 81,68%; gasolina, 57,03%.
No item alimentação: carne bovina, 18,63%; sal, 29,48%; trigo, 34,47%; óleo de soja, 37,18%; farinha, 34,47%; açúcar, 40,4% e por aí vai. Com exceção de ovos, (21,79%), todos os itens vão bem além dos 30%.
Mas é no setor de higiene que a coisa pega: sabonete, desodorante, aparelho de barbear, papel higiênico, pasta dental, todos são taxados para além de 40%. O campeão é o xampu, que tem 52,35% do preço representado por impostos (pense nisso cada vez que lavar os cabelos!).
Nas bebidas, a inocente água tem 45,11% do preço em impostos, a cerveja, 56%. E a rainha é a mesmo a cachaça, com inacreditáveis 83,07%! (pondere muitas vezes antes de preparar uma caipirinha!).
Nos eletrodomésticos não há nenhum abaixo de 35%.  E “eles” ainda querem uma nova cpmf!
E pensar que a Inconfidência Mineira começou com a revolta dos brasileiros pela cobrança do quinto (20%) sobre a extração do ouro! Eles eram felizes e não sabiam....

VEJA as capas

Gostaria de parabenizar os editores de Veja pela capa da edição do dia 31 de agosto:  nela, o "poderoso chefão" José Dirceu (o do gabinete secreto em hotel de luxo) aparece com o mesmo ar de deboche de Wagner Rossi, fotografado em edição anterior (e comentado em postagem do dia 14 de agosto).
Acredito na força das imagens. Estampadas nas bancas, as capas falam por si sós, alertando os passantes para o fato de que alguns estão se locupletando enquanto a grande maioria do povo sofre as consequências de um processo silencioso, insidioso e constante de abalo de nossas mais caras estruturas éticas.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Enquete no site do Senado

 
 No portal do Senado, em cima, à direita, em letras bem pequenas, há uma enquete pesquisando a opinião pública sobre um  projeto da lei que propõe colocar corrupção no rol dos crimes  hediondos. Entrei, votei e verifiquei que até agora 99% dos votantes são 'a favor', mas ainda são poucos votos. Parece ser sério. Tentei votar duas vezes, mas o sistema havia registrado minha participação e rejeitou a segunda.
Convoque os amigos para uma avalanche em favor da tipificação da corrupção como crime hediondo.

domingo, 21 de agosto de 2011

(Muito) precioso líquido

video
Há muito tempo ando preocupada com o uso racional da água. Descobri agora que não estou sozinha nessa campanha: encontrei um simpático militante da mesma causa. Vamos divulgar sua sabedoria? Talvez mais humanos aprendam com ele!.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O verdadeiro Big Brother chegou?

A moderna tecnologia,  à disposição da polícia, pode ser mostrada nessa matéria.
Coloque o cursor em qualquer parte da multidão e clique duas vezes. Mantenha o duplo clique e veja o que acontece na foto, batida antes de um tumulto ocorrido no Canadá.  Pode-se  ver, perfeitamente, os rostos de todos os indivíduos, separadamente, um por um (e há milhares deles).
É só ir aproximando  e  a polícia consegue identificar, perfeitamente, uma pessoa entre milhares delas.
Nada mais é secreto. Não é possível esconder-se, mesmo na multidão mais compacta. N
uma manifestação, onde a força do coletivo protegia as pessoas, agora são todos vulneráveis. 
 Uma sociedade com esse poder de controle é mais segura? Será que o excesso de controle não nos torna mais controlados?  


domingo, 14 de agosto de 2011

Cara enigmática

A revista Veja de 17 de agosto de 2011 traz, na capa e na página 78, fotos do ministro Wagner Rossi, da Agricultura. As fotos são expressivas, bem ao estilo Jack Nicholson. Num primeiro momento, fiquei em dúvida: será terror, será deboche?
Ao ler a longa reportagem, que se estende até a página 87, no entanto, a dúvida se dissipou. Muitos escândalos envolvem seu nome: comida estragada que deveria alimentar os pobres, pedidos de propina, fraudes em licitações, relação com lobista-traficante, denúncia de enriquecimento ilícito... Tudo isso, e ele continua ministro. A cara só pode ser de deboche.

domingo, 7 de agosto de 2011

Escolhas difíceis

Nas “Páginas Amarelas” da revista Veja de 10 de agosto, o médico Ezekiel Emanuel, chefe do setor de bioética do governo americano, defende a idéia de critérios objetivos para salvar vidas, quando a situação exige decisões cruciais por parte dos médicos. Segundo ele, se se tem, por exemplo, um fígado para transplante e três pacientes necessitados do órgão, com urgência, _ uma criança de 2 anos, um jovem de 20 ou um idoso de 70 _ qualquer pesquisa de opinião decidirá que o jovem de 20 anos deverá ser o receptor. Isso é eticamente defensável, segundo ele.
Tudo bem, é objetivo, é lógico, mas eu, que já dobrei o Cabo da Boa Esperança, espero não estar nunca num sorteio assim funesto, de jeito nenhum!

Ser pobre é bom?

A revista Superinteressante, edição 291, de maio de 2011, traz matéria no mínimo, estranha. Nela, Antoine van Agtmael, presidente da empresa de investimentos “Emerging Markets Management” declara que a pobreza pode ser benéfica.
Segundo ele, os mais pobres, da base da pirâmide social, podem ter idéias criativas quando as situações chegam a níveis críticos.
Dois fatores estimulariam a criatividade dos países pobres: baixo custo e ousadia. Como exemplo o autor cita a engenharia aeroespacial brasileira, o etanol e o “porco light”. “Os países mais pobres têm um longo caminho a percorrer, mas, para mim, eles possuem um espírito inovador capaz de levar as ideias mais loucas e revolucionárias adiante”, diz ele.
Ou seja, a pobreza pode ser positiva. Desde que, é claro, fique do outro lado do mundo ou bem longe do nosso quintal!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Xô, mau humor!

Tive a possibilidade de ver alguns momentos  da prova do "super chefe", no programa da Ana Maria Braga.  Um dos cozinheiros convidados, responsável por um das oficinas de aprendizado, declarou:  "só vá para a cozinha de bom humor". Acredito piamente neste conselho salutar. A comida, preparada com desvelo e atenção, com alegria e vontade de agradar a si próprio e aos convidados, traz como resultado belos presentes para a visão, o olfato e o paladar.
Acredito também que  o conselho possa se estender mais: experimente ir para o trabalho, para o relacionamento, para os problemas, para as dificuldades, acompanhado do bom humor. Ele facilita, contorna, acha saídas, aproxima pessoas, muda carrancas em sorrisos.
Enfim,  vá para a vida de bom humor!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Bolsa milionária

Aprendi com a Revista "Mundo estranho", da editora Abril, na edição de agosto de 2011, que uma bolsa Hermès, por ser feita artesanalmente com couro de crocodilos criados numa fazenda na Austrália, pode custar a bagatela  de 120 mil reais, ou seja, o mesmo que um apartamento.
Outro argumento a favor desse disparate (para quem sobrevive com um centésimo dessa quantia por mês, por exemplo) é que ela, além dos atributos acima, pode ser considerada um investimento, a ser passado de geração a geração.
Fala sério: alguém que compre uma bolsinha dessas vai querer ostentar uma já usada e que pertenceu à sua bisavó? Quem compra produtos que são símbolo de status, requinte e tradição vai querer sempre itens novos, para deixar boquiabertas as degredadas filhas de Eva que têm que se contentar com bolsas sem grife, sem estilo e sem glamur!

Censura ainda em voga

O jornal "O Estado de S. Paulo" trouxe nesse domingo, 31 de julho, um caderno especial sobre a luta que trava contra a censura imposta por ordem judicial. Há exatos dois anos, o noticioso, um dos mais lidos do país, está impedido de divulgar fatos sobre a Operação Boi Barrica, que investiga irregularidades, tráfico de influência e corrupção  em ministérios e estatais. O pedido de amordaçamento foi feito por Fernando Sarney, filho do dono da província do Maranhão.
Soberanos e reis sempre justificaram seu poder  com diferentes razões: direito divino, sangue azul, carisma ou força. Atualmente, na era da informação, é preciso arrumar outras justificativas. Na falta delas, serve ter no Judiciário um juiz amigo da família.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sobre amizade

Li um texto muito bonito sobre amizade, num email, e gostaria de refletir um pouco sobre esse  sentimento fundamental.
Já me disseram que amizade é uma relação de afeto em que não há contato sexual. O resto é tudo igual: encantamento, alegrias, ciumeiras, preocupações, festa, saudade, reencontro festejado, etc, etc, etc.
Acredito que ter amgos é  também uma questão de aprendizado e de mudanças. Quando pequenos, os amigos nos servem (e a eles servimos) para companhia, fortalecimento, aprendizado.
Na idade madura parece ficar clarificado que amigos são almas gêmeas que encontramos pela vida e que nos dão (e a quem damos) o que de melhor podemos, nem que seja pouco: um chazinho na tarde, uma prosa num canto reservado, confidências que não faríamos nem ao travesseiro. Com amigo se pensa alto, com amigo se vive, com amigo se é feliz.
Bi, Cecília, Cleuza, Marly, Zélia e tantos outros amigos, vocês são tudo isso (e o céu também) para mim. Agradeço à vida o privilégio de tê-los por perto ou a distância, completando, alegrando e enriquecendo minha vida.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Noruega (e o mundo) de olhos arregalados

Os países escandinavos, com suas populações de hábitos discretos e politicamente corretos povoam nosso imaginário como lugares de paz, calma e harmonia.
Talvez por isso seja tão difícil entender o atentado duplo com carro-bomba contra Oslo e a tiros na Ilha de Utoya , considerado o maior massacre da história da Noruega desde a Segunda Guerra Mundial.
O ultradireitista Anders Behring Breivik, autor confesso do duplo atentado,  aparece nas fotos com os esperados cabelos loiros e olhos azuis e já foi classificado como  louco por muitos especialistas.
Fatos como esses nos levam a refletir sobre o mal, a violência, o terror. Em terras de injustiça social e instabilidade política, sem respeito aos direitos humanos, eles são vistos como a reação humana esperada e quase que obrigatória contra esses fatos. Mas, como justificar ou entender o ódio ao diferente, ao estrangeiro, abrigado em alguém que teve paz, casa, comida, escola, boas condições de vida e de trabalho, muitas vezes uma sólida orientação religiosa?
Ficam a interrogação, o susto, a perplexidade. Que estranhos caminhos percorre a mente humana, na sua tarefa diuturna de entender o mundo, entender-se a si próprio, encontrar seu canto e ser feliz?

Brilho efêmero

Segundo noticiário do Terra, o corpo da cantora Amy Winehouse foi cremado nesta terça-feira, 26 de julho, no crematório de Golders Green, em Londres. Aos 27 anos, a cantora era exemplo de talento mal administrado. Sua figura jovem, vestida e (des)penteada quase que debochadamente, parecia assustadora ou patética, insegura ou irônica.
É difícil fugir da surrada figura da mariposa atraída pela luz e por ela ofuscada. Amy viveu intensamente, cantou, encantou, bebeu, drogou-se e morreu, tudo muito rapidamente. 
Ouvi e li jovens dizendo e escrevendo que ela era ídolo de muitos deles. Pobre e frágil ídolo, de pés liquefeitos, incapazes de firmá-la no chão.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Martinópolis no Jornal Nacional!

A prefeitura de Martinópolis, cidade do oeste do Estado, está devendo aos funcionários. A irregularidade nos pagamentos vem ocorrendo desde o mês de outubro passado, mas parece que a situação agora piorou.
O prefeito, Waldemir Caetano, preocupado com a situação dos servidores, tomou medidas drásticas: primeiro estabeleceu um critério muito interessante para pagar aos poucos seu pessoal: por ordem alfabética. Fez um sorteio (uma funcionária declarou que esse sorteio aconteceu) e a ordem sorteada foi do fim para o começo, ou seja, começando pela letra Z. Assim, ele, prefeito, de nome Waldemir, já recebeu, por conta da sorte, os 11 mil reais que lhe cabem como salário.
A outra medida tomada pelo alcaide foi baixar um decreto que proibe manifestações dos funcionários sobre "assuntos particulares da administração", incluindo, é claro, a questão dos salários.Segundo o prefeito, ele queria impedir que o caso fosse parar na mídia regional ou estadual, como já aconteceu anteriormente.
Parece que alguém mais lúcido (e corajoso) desobedeceu ao prefeito e deu um toque para a TV. O caso não só apareceu nos noticiários locais e regionais, mas foi visto por todo o Brasil, via JN.
Como muitos casos da política brasileira municipal, estadual ou federal, este também seria cômico, se não fosse trágico!!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Assunto delicado

A filósofa francesa Elisabeth Badinter, professora da École Poytechnique, deu longa entrevista às páginas Amarelas da Revista Veja de 20 de julho, falando sobre maternidade e amor materno. Para ela, essa ligação forte entre mães e filhos pode ter não apenas aspectos emocionais, psicológicos, mas também culturais, uma vez que há uma pressão muito grande para que as mulheres sejam mães, e mães perfeitas.
Há verdadeiros dogmas sobre a maternidade, esperando-se, quase sempre, que as mães sofram por seus filhos - a começar pelo parto, que muitos defendem que seja natural e sem anestesia - pela beleza do sacrifício.
Lembrei-me de um sermão ouvido faz um muito tempo. Era Dia das Mães e padre contou uma edificante historinha: mãe e filho salvaram-se de um naufrágio e se viram numa ilha deserta. A mãe amamentou o filho até que seu leite acabasse. Desesperada, ela abriu com uma faca o próprio seio, para que o filho lhe mamasse o sangue e sobrevivesse até que chegasse o resgate. Um certo exagero, concordam?? Mas, é com histórias assim que se forma a cabeça de uma mãe!
Pelo tamanho da campanha, surpreende-me que muitas de nós tenhamos conseguido sobreviver com algum lampejo de lucidez!!

domingo, 17 de julho de 2011

Os Kennedys

O canal A&E, da TV por assinatura, exibiu (e está reprisando neste domingo) a minissérie "Os Kennedys". Vi todos os capítulos - gravados anteriormente - de uma só vez, para não perder o fio da história.
Como antecipa o nome, o tema é a trajetória de vida de Joe, John e Robert Kennedy.
No imaginário da minha geração, os Kennedys, ricos, belos e poderosos, representavam o charme e o glamour da família real que os americanos sempre quiseram ter.
O livro “Marilyn e JFK”, de François Forestier mostrou o lado negro dessa família, segundo o autor disposta a tudo para conquistar e manter-se no poder.
A minissérie fica no meio termo. Nem tão glamurosa como  imaginávamos, nem tão  repugnante como o livro, ela mostra momentos marcantes dos 3 homens, suas famílias, mulheres, acertos e erros. A ligação de Joe com a Máfia (via Frank Sinatra), o episódio da Baia dos Porcos, o momento decisivo dos mísseis soviéticos em Cuba, o affair desastroso de John e Marilyn, está tudo lá. Acho que ainda dá pra conferir. E gostar.

terça-feira, 12 de julho de 2011

OAB reprova 88%

Segundo a revista Veja, os 88% de reprovação dos candidatos ao título de advogado é resulado da "má qualidade do ensino" nos cursos de Direito.
Não tenho formação jurídica para opinar sobre o teor da prova elaborada pela OAB e que reprovou tanta gente.
Espero que não me condenem à pena capital meus amigos advogados, mas, como pedagoga, penso aqui com meus botões se não haverá também uma parcela de responsabilidade por parte de quem elabora tais provas. Afinal, elas vêm reprovando maciçamente os candidatos, anos após anos e as vítimas (os reprovados) e as escolas que frequentaram acabam sendo os únicos culpados..

Huck pisa na boia

Li na Veja: o apresentador de TV, Luciano Huck, foi multado por cercar com boias a praia em frente a sua mansão, em Angra dos Reis.
A pouco tempo atrás li (não me lembro mais onde) que ele e Angélica eram tidos pela mídia como casal perfeito, politicamente correto e avesso a badalações e escândalos.
Mas parece que, segundo acredita o povo, "ninguém é perfeito"!

Viver e aprender

Não é preciso esperar uma situação-limite para descobrir certas verdades simples, mas fundamentais. Ouça o relato de um sobrevivente do acidente com o avião que pousou no Rio Hudson, nos Estados Unidos.
Acesse o link abaixo, veja, ouça e coloque em prática!

http://www.ted.com/talks/lang/por_br/ric_elias.html

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Solução do desafio matemático

Se você tentou resolver a questão proposta na última postagem, confira a solução.
Vejamos o primeiro exemplo dado (5+3+2= 151022). Para se encontrar o número depois do =, é preciso:
_ multipicar o primeiro dígito pelo segundo (5X3, 15)
_ multiplicar o primeiro dígito pelo terceiro (5X2, 10)
_ somar os resultados obtidos (15+10, 25)
_ da soma, subtrair o segundo dígito (25-3, 22)
- então: 5+3+2=151022.

Na incógnita encaminhada (7+2+5= ?), a solução é (7X2+7X3-2), ou 14+35, 49, menos 2, 47
ou seja,  7+2+5= 143547.
Quem acertou, levante a mão!! rsss

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Encontre a solução

Recebi esse desafio e quebrei a cabeça até resolvê-lo. Experimente também.
Daqui a alguns dias coloco aqui a solução. Dizem que apenas 2% das pessoas conseguem encontrar a regra estabelecida. Será?
 Se
 5+3+2 = 151022
9+2+4 = 183652
8+6+3 = 482466
5+4+5 = 202541
 Sendo assim, 7+2+5 = ????

 
 

Quem quer ser pai (ou mãe) do Tiririca?

O ex-palhaço Tiririca, hoje deputado federal, anda aparecendo na TV numa campanha (mal bolada) de combate ao nepotismo. Alegando que deputado federal não pode empregar parentes, ele determina que o pai continue a "vender latinhas" e a mãe permaneça como lavadeira. Ora, nobre deputado, Vossa Excelência tem agora condição de tratar melhor seu progenitores. Estou certa de que professores, operários, lavradores ou qualquer outro profissional, mesmo tendo salário bem menor que o de Vossa Excelência, acolhem e acarinham quem lhes deu a vida. Que vexame, filho desnaturado!

domingo, 26 de junho de 2011

Acredite se quiser

Li na Revista Superinteressante de julho que alguns milionários estão reivindicando o direito de pagar mais impostos!! O grupo alega que alguns cortes tributários foram prejudiciais ao país, que está vivendo problemas de orçamento e dívida pública. Por essa razão, querem aumentar sua própria taxa de impostos. 
Ah... esqueci-me de dizer. O grupo de milionários é americano, não é brasileiro, não!

Trocar para quê?

A sessão "Holofote", da ediçao 2223 da Revista Veja, tem matéria que pode nos fazer perder o sono. José Sarney pode deixar a presidência do Senado. Mas, pode tirar o sorriso do rosto. A abdicação ocorreria em favor de ... Renan Calheiros. Sim, aquele mesmo que tinha amante cujos gastos eram pagos por uma empreiteira. Como diz a matéria, será o mesmo que trocar seis por meia dúzia. Não é uma pena que nessa eleição não possamos votar?

Até tu, Chico?

Na Veja desta semana, um susto: a sessão "Sobedesce" traz (descendo, é claro) a notícia de que Chico Buarque escreveu um infeliz verso. Para rimar com "sacrifício", ele usou "orifício". Tudo bem se o resto da frase poética (??) não fosse assim: "amar uma mulher sem orifício".
Chico!!! Nem mil "Olhos nos olhos" - o hino nacional da recuperação da auto-estima feminina - podem minimizar essa coisa horrorosa! Acho que vou ficar uma semana sem ouvir música sua. Pensando bem... uns 3 dias... quem sabe, 2...

De viver e de morrer

Semana de grandes perdas, em vários campos da atividade hummana. Wilza Carla, atriz de rosto e corpo belíssimos, que teve papel de destaque na novela "Saramandaia", morreu no dia 18, aos 75 anos, dizem alguns, em extrema miséria. O ator Peter Falk, do seriado antigo "Columbo", excelente entretenimento que mostrava um detetive meio atrapalhado, mas com uma lógica incrível, morreu aos 83 anos. Eu apreciava muito. E finalmente o ex-ministro Paulo Renato, de infarto, com juvenis 64 anos. Cada um deles firmou seu nome de uma forma peculiar e cada um será lembrado por acertos e erros, como qualquer um de nós, mesmo que nossos nomes não constem na revista Veja nem nos jornais de grande tiragem.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Com mais de setenta, pode!!

A revista Superinteressante (que, aliás, não poderia ter outro nome!!), edição 290, traz, na seção “Ciência Maluca”, a importante constatação de que idosos gordinhos morrem menos. Segundo a matéria, pra quem passou dos 70 anos, há 13% de chances de viver mais, quando se tem alguns quilinhos a mais.
Como todos nós vamos chegar lá qualquer dia desses, que tal começar a nos  precaver desde agora, adicionando uma protetora capa adiposa sobre nossos músculos?
Então vamos lá! Mãos à obra (ou à comida!!)  

Revendo ensinamentos (Superinteressante II)


Tenho falado a alunos e amigos, há muito tempo, que as noções de “estações do ano”, no Brasil, precisam ser revistas e ensinadas de outra maneira. O que aprendemos nos livros escolares são modelos europeus, com suas estações marcadas e distintas. Costumo brincar que, no Brasil (especificamente no oeste paulista) temos apenas duas estações: calor e MUITO CALOR!
E o que dizer de primavera, em terra que tem flores o ano inteiro? E outono como estação dos frutos? Minha humilde fruteira, hoje, em pleno inverno da folhinha, abriga sumarentos caquis, tangerinas e uma atemoia que eu espero amadurecer.
Isso me veio à lembrança lendo a mesma revista citada na postagem anterior, que traz informe do movimento Planeta Sustentável, com um mapa das frutas. As imagens confirmam: temos frutas o ano todo nas diferentes regiões do Brasil.
Meu pai sabia valorizar essa fartura de vitaminas e sabor. Dizia ele que o mamão devia ser valorizado pois tinha, segundo ele, “vitaminas do A ao Z” ! Aleluia!

sábado, 4 de junho de 2011

Coisas amenas

Para vocês não dizerem  "que não falei de flores", segue um filminho super instrutivo que ensina a usar uma echarpe de 25 formas diferentes!! Ideal para os (poucos) dias friozinhos que nos acometem a cada ano!!
Aprecie e ponha em prática!!!

http://www.youtube.com/watch?v=5LYAEz777AU

Propaganda militar?

Você já deve ter visto o filminho
http://www.youtube.com/watch?v=hkGzqpGx1KU.

Ele andou correndo a net e tem várias partes. Esta é a primeira. O tìtulo é "Soldados surpreendem seus queridos" e um subtítulo fala de "nossos heróis".
Eu só queria que você me ajudasse a pensar: a quem interessa esse "endeusamento" ou essa "humanização" de soldados que lutam (em que guerra for) e matam gente que também tem filhos cujos pais não voltarão? 

domingo, 29 de maio de 2011

Boas e más novas

Este recado é para meus alunos formandos dos cursos de Pedagogia e Turismo e para todos os graduandos do Brasil. Deu na Veja, na seção "Sobe e Desce": trabalhadores que concluíram o curso superior ganham 225% a mais do que os que não têm diploma. Parabéns!
Este outro é para minhas alunas formandas: o salário médio das mulheres brasileiras ainda é 20% menor que o dos homens. Ainda há um longo caminho a trilhar rumo à igualdade de gênero. Força, meninas!

O que representam 7 dias?

Publicitários nos surpreendem com peças criativas, cheias de inventividade. Algumas nos fazem rir, outras nos fazem chorar (a maioria nos faz comprar!!).
Veja no filminho como publicitários podem ser poetas. Nele, a relatividade do tempo está mostrada com imensa originalidade. Foi feito para marcar o lançamento da Época, revista semanal da Abril. Repare na sonoridade especial. Confira para ver se concorda comigo!

http://www.youtube.com/watch?v=KU7pUs2opis

sábado, 28 de maio de 2011

Em legítima defesa

Este texto foi escrito para participar de um concurso da Revista Piauí, da Ed. Abril. O desfio consiste em colocar a frase “_Não vou tolerar esse tipo de agressão, ainda mais levando em conta que meu tio é ventríloquo!” num texto, de modo que ela faça sentido!

O caso me pareceu, logo de cara, dificultoso. Não diria perdido, pois não sou homem de entregar os pontos. Mas salvar meu tio das garras daquela aventureira não seria fácil, constatei.
Devo admitir que a fulana era dotada de enorme graça e sensualidade, principalmente pelos olhos oblíquos e dissimulados, como teria escrito alguém mais talentoso que eu.
O pobre tio estava perdido, embasbacado, alucinado por um belíssimo par de pernas e um rosto de menina inocente que o olhava e sorria, sorria, sorria.
Longe de mim admitir que meus interesses de sobrinho único e herdeiro certo de sua extensa fortuna pudessem interferir em meu julgamento absolutamente imparcial da Messalina. Moviam-me interesses humanitários e familiares, de proteção ao rico tio, senil e apaixonado.
Por isso, tive que usar armas fortes. Minhas pesquisas científicas confirmaram minhas desconfianças iniciais de que o cabedal cultural da criatura de generosas coxas não era lá essas coisas. Descobri também, valendo-me de todos os meios, que a dona dos olhos enganadores tinha aversão a todo tipo de doença. Fatos vindos como herança de infância pobre, que não lhe haviam tirado a beleza de seios, redondos e empinados, a apontar o caminho da perdição para tantos.
Uma tarde, a bela se encontrava sob um caramanchão especialmente feito para ela por meu tio, ligado a cenas e palavras românticas do século XIX. Foi difícil olhar para o rosto de anjo, imaginando-lhe os quadris arredondados sob a saia curta. Mas tomei coragem e chamei-a de nomes horríveis, fiz-lhe acusações, expus meus receios e minhas certezas sobre o caráter maligno de sua cara de santa.
A um tanto desses despautérios ela ouviu em silêncio, mas sua paciência era pequena,  de modo que revidou em alto e bom som, chamando-me de interesseiro, porra louca, sangue ruim. Esperei até o nível perfeito de sua raiva e então joguei-lhe na cara de pele doce e aveludada as palavras salvadoras:
_Não vou tolerar esse tipo de agressão, ainda mais levando em conta que meu tio é ventríloquo!
Ao ouvir isso, a pequena entrou em pânico. Arrancou a roupa, desesperada, e ia sair assim despida pela rua, fugindo ao que imaginava ser terrível moléstia.
Tive que detê-la. Tive que abraçar seu corpo pequeno e bem feito para que não se desesperasse. Tive que beijar seus olhos oblíquos, a boca sedenta e os seios de mel. Derreti-me entre suas pernas altas, de coxas redondas e suaves ao toque. Ouvi sua voz de anjo, perdi-me para sempre no seu cheiro e no seu calor.
Meu tio ventríloquo nunca mais soube de nós. Arrumou outra namorada, desta vez uma rica senhora de numerosas prendas, dentre as quais a generosidade. Juntou sua fortuna à de meu tio e estão eles vivendo felizes enquanto Alzheimer não chega.
Nós também vivemos felizes, a santinha e eu. E não há dicionários em nossa casa.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Despedida

A pessoa que detém o título de segunda maior celebridade do mundo, integra a lista de bilionários da revista Forbes, tem fortuna estimada em 2,7 bilhões de dólares, é mulher e é negra.
Trata-se de Oprah Winfrey, a terceira mulher mais influente do mundo (atrás de Michele Obama e da empresária Irene Rosenfeld, mas à frente de nossa presidenta Dilma).
Depois de 25 anos fazendo o programa de audiência mundial, sem nunca ter faltado às 5000 apresentações, essa mulher que teve infância pobre e cheia de tragédias despede-se do show que levava seu nome e parte para administrar seu próprio canal de TV.
Que será um sucesso, com certeza!

Trio parada dura

Nosso velho conhecido, Paulo Maluf, modelo para muitos homens  públicos brasileiros, saiu em defesa do Palocci, de triste lembrança. Já achei que era demais para o meu coração, mas o melhor estava por vir. Eis a manchete do Estadão de hoje: "Orientada por Lula, Dilma reaparece e defende Palocci". Não há dúvida, o homem tem grandes e poderosos amigos!
Mas... voltando à manchete: esse trio aí já não deveria ter sido dispersado? Que saiam de cena o ex e o escandaloso e deixem a presidenta governar em paz!!

Aprendendo com quem sabe mais

Umuntu ngumuntu nagabantu - "Uma pessoa é uma pessoa por causa das outras pessoas". Ditado sul africano da tribo Ubuntu

A jornalista e filósofa Lia Diskin, no Festival Mundial da Paz em Floripa (2006), apresentou o  caso de uma tribo na África chamada Ubuntu. Um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto. Sobrava muito tempo e ele propôs uma brincadeira que achou ser inofensiva para as crianças .
Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, botou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e colocou debaixo de uma árvore. Chamou as crianças e combinou: quando ele dissesse "já!", elas deveriam sair correndo até o cesto. A que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.
As crianças se posicionaram na linha de saída, esperando o sinal combinado. Quando ele disse "Já!" instantaneamente todas as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.
O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou porque tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo, ganhar muito mais doces. Elas simplesmente responderam: "Ubuntu, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?"
Ele ficou pasmo.Meses e meses estudando a tribo e ainda não havia compreendido, de verdade, a essência daquele povo. Ou jamais teria proposto uma competição, certo?
Ubuntu significa: Sou quem sou, por quem somos todos nós.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Terceira idade conectada

Matéria na Veja de 25 de maio revela que no Brasil está ocorrendo fenômeno que já é comum em outros países: madurões estão passando quase o mesmo tempo ligados à Internet que os bem mais jovens. Pesquisa feita em 170 países mostra que as diferentes idades estão conectadas com a mesma frequência a serviços como Skype, Facebook, Google e outras formas de se ligar a pessoas e fatos.
Não dá mesmo para ficar de fora. Quem trabalha não pode mais abrir mão dos recursos da tecnologia: professores como eu, tenham a idade que tiverem, colocam materiais de estudo, notas, faltas, recados on line, facilitando a própria vida e a dos alunos (e às vezes, quebrando a cabeça para aprender novos caminhos dentro de sites reconfigurados).
Seja por qual motivo for, estamos todos cada vez mais ligados aos serviços e às redes virtuais. Fazemos compras e pagamos contas, descobrimos amigos há muito tempo separados de nossos afetos, vivemos a era digital.
O que importa é viver. E se for possível, viver bem, com felicidade. Se não for ao vivo, que encontremos nossos amores on line. Daqui do computador mando recados a meu neto Gabriel, intercambiário em Quito, no Equador. E como eu, você também deve ter alguém querido e distante. A net encurta distâncias e aquece corações.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Privilégios

Deu na Folha: "Alheio a protestos pela moralidade pública, o Itamaraty anuncia que manterá a validade dos passaportes diplomáticos concedidos a familiares do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no apagar das luzes de seu governo".
Os documentos, que conferem a seus portadores tratamento especial em viagens internacionais, foram distribuídos a quatro filhos e três netos do então presidente.
Onde é que está escrito mesmo que "todos são iguais perante a lei, mas uns são mais iguais do que os outros"?
E aí? Vamos reclamar com quem? Com o bispo?

Concordâncias e preconceitos

Uma matéria na TV e alguns emails estão ressaltando o assunto de que se deve respeitar a língua falada pelo povo. Pelo tom das entrevistas e informações, parece que se vai jogar no lixo o padrão culto da língua e institucionalizar o uso do português popular ou registro coloquial da língua como norma para todas as ocasiões.
Na TV o assunto foi apresentado em rápidos flashes, como acontece sempre nesse veículo de comunicação, onde o tempo é precioso (e caro). Os temas acabam não sendo aprofundados e as pessoas ficam com informações incompletas.
Respaldada em teóricos respeitados, acredito, como professora, mais ou menos no que se segue.
- A língua pode ser um meio de subordinação dos que dominam a norma culta sobre aqueles que não a dominam por falta de oportunidades de acesso a ela, via escolarização.
_ A escola precisa respeitar e compreender o registro linguístico que as classes populares utilizam no dia a dia, resolvendo com ela seus inúmeros problemas e mantendo a socialização com seus iguais.
_ O registro popular da língua tem uma gramática própria, que não foi ainda devidamente sistematizada nem descrita pelos linguistas.O exemplo dado no programa de TV diz respeito a uma regra de concordância. O registro popular marca o plural apenas no artigo (Os menino corajoso foi).
Já a norma culta tem um plural redundante, ou seja, marca o plural em todos os elementos da frase (os meninos corajosos foram).
É bom lembrar que o inglês culto marca o plural apenas no substantivo, ficando artigos, pronomes, verbos e adjetivos, invariáveis (The dirty boys went to school, ao pé da letra: o meninos sujo foi à escola).
_ O papel da escola é apresentar à criança formas diferentes de falar o que ela já fala, ou seja, na escola aprende-se a norma culta do português porque é nessa modalidade que se é avaliado pela sociedade _ quando se presta um concurso, quando se apresenta para uma entrevista de emprego, quando se faz uma reivindicação junto a uma autoridade, etc
_ Em resumo, o jovem, ao entrar para a escola, já domina uma variedade do português (ele é competente falante de sua língua materna). Deverá sair da escola dominando duas modalidades e as usará nas ocasiões adequadas.
Fazendo uma analogia com o vestuário: não usamos roupa esporte numa solenidade (seria inadequado) nem vamos usar português popular numa sala de aula ou numa audiência com o juiz.
Da mesma forma, não vou usar paetês à beira da piscina nem  vou utilizar a norma culta da língua para dizer: _Por obséquio, passe-me a vasilha de arroz! Esse linguajar fica pernóstico numa situação informal.
 Como já falei, o assunto é extenso e sujeito a chuvas e trovoadas. Estou cada vez mais convencida de que não se deve julgar uma pessoa pela maneira como ela fala. Existem pessoas que falam "certo e bonito" e não dizem nada (ou nos enganam). Outras têm léxico e sintaxe deficitárias, mas passam mensagens contundentes.

Cida Bosschaerts


sábado, 14 de maio de 2011

O eterno Zorba

Estou repartindo com vocês momentos de pura emoção. Sou durona pra chorar, mas o segundo filminho me derreteu.
Reveja Anthony Quinn, em 1964, no filme "Zorba, o grego" com 49 anos (e uma  música imaginária).  Em 1999, com 84 anos, dançando Zorba acompanhado de um show de coro, orquestra e ele, é claro!
      
A dança original, em 1964: http://www.youtube.com/watch_popup?v=bXxJyIVz-98
Em 1999, com 84 anos: http://www.youtube.com/watch_popup?v=CKHlmb5xcq8

Confira. Emocione-se!

O humor é fundamental

Continuo recebendo, a título de degustação, a revista "Contigo". Mal agradecida que sou, não vou assiná-la, mas aproveito algumas informações que chegam por ela. Duas declarações de conhecidos humoristas nos levam a pensar. Marcelo Madureira declarou à Folha de S. Paulo, em 1º de maio: "Quando criamos o jornal Casseta Popular nos anos 70, fizemos uma lista de piadas sobre negros. Hoje não posso caçoar de aeromoça, garçon, enfermeira, porque há uma indústria do processo".
Como que completando a afirmação do colega, disse Marcelo Tas, também na Folha do mesmo dia: "O humorista é um agente de saúde, no sentido de lembrar que somos precários, imperfeitos. Mas as pessoas querem viver num mundo sem imperfeições". 
Os (bem) mais antigos já diziam "Ridendo castigat mores" (a sátira, rindo, corrige os costumes). A comédia exacerba alguma característica do satirizado, para que ela fique mais visível, mais facilmente compreendida e combatida, se for o caso. É pedagógica, portanto. Mas, pessoas há que preferem não ser compreendidas e julgadas. Daí a calar a boca dos humoristas é um passo!  

Prevaricar: sim ou não?

A resposta para a questão acima é...depende. Se você for o Antonio Fagundes, por exemplo, ao ser vítima de prevaricação, com certeza será recompensado. Com a Camila Pitanga nos braços, em "Insensato Coração" ou com o amor genuino da deslumbrante sem-terra Luana vivida por Patricia Pilar, em "O rei do gado", lembram-se?
Agora, se você for a ex dele, acautele-se. Seu destino pode ser atroz. No primeiro caso, cair nas mãos de um malandro violento (Oscar Magrini), como a Léia vivida por Silvia Pfeifer. Já a Vanda de Natalia do Vale,na atual novela das nove, foi condenada a viver de favor na casa da insuportável Tia Neném, interpretada magistralmente por Ana Lúcia Torre.
Novela pode ser assunto sério. Já dizem, há tempos, os grandes teóricos da educação que a formação de valores está sendo feita pelos meios de comunicação.

domingo, 8 de maio de 2011

Pressa

A leitura do livro “O advogado do Diabo”, de Morris West, há muitos anos, popularizou entre os leitores a figura do homem cuja função é encontrar e tornar público qualquer possível peça de convicção contra o candidato às honras da canonização.
Lembrei-me do fato quando do alvoroço pelo ultra-rápido processo do polonês Karol Wojtyla, que morreu em 2 de abril de 2005, após um pontificado de 27 anos. Na própria noite em que foi anunciada sua morte, a multidão presente na Praça de São Pedro pedia que ele fosse declarado santo imediatamente.
Talvez esse fato tenha levado à dispensa de algumas regras e tenham se iniciado as investigações sobre sua santidade. Não ouvi falar em advogado do diabo neste caso.
Há expectativa na comunidade católica de que o pontífice também percorra rapidamente o caminho para ser considerado santo. Quando se facilitou o caminho da canonização para os futuros santos, graças à reforma do Código de Direito Canônico de 1983, diminuíram os obstáculos e exigências para se chegar a santo, que se dão em três etapas: confirmação das "virtudes heroicas", beatificação e canonização. Para esta se necessita a comprovação de pelo menos dois milagres.
A rapidez com que está sendo concluído o processo de beatificação do papa João Paulo 2° é resultado da pressão do setor tradicionalista da Igreja Católica, segundo analistas ouvidos pela BBC Brasil. O vaticanista e escritor Giancarlo Zizola disse que a rapidez na conclusão do processo está sendo criticada até mesmo dentro da Igreja Católica.
"A ala conservadora tem interesse numa leitura triunfalista do papado de João Paulo 2°, para esconder a obra de seu pontificado atrás de uma auréola sagrada e assim torná-la indiscutível”, afirmou.
O que não se pode discutir no papado de Karol Wojtyla?

sexta-feira, 6 de maio de 2011

União ou casamento?

Deu na primeira página do Estadão: "Supremo reconhece união estável entre homossexuais". O que antes só era conseguido na justiça, agora deverá ser automático: receber pensão alimentícia, ter direito à herança do companheiro, em caso de morte, ser considerado dependente nos planos de saúde. Esse pode ser o primeiro passo para que o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo seja reconhecido por lei.
Nem todo mundo aplaudiu. O arcebispo do Rio, d. Orani Tempesta, declarou que não há equiparação entre essa união e o casamento.
Reverendíssimo,  não importa o nome que se dê ao fato. Hétero ou homossexuais, as pessoas que se amam querem é ficar juntas. E ser felizes. Só isso.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Tornar-se mãe (ou, falando de amor)

Quando nos tornamos mães, o mundo passa a ter uma dimensão diferente. O que antes parecia crucial perde a importância, o que era irrelevante adquire contornos de coisa essencial. A esperança é nossa companheira, o amor adquire concretude num papel que afirma que seremos mães.
Pena que a maternidade não venha acompanhada de uma sabedoria maior, de uma paciência mais elástica, de um “google” de plantão para as inúmeras dúvidas que nos assaltam. Ou aos nossos filhos.
Mães não são sacralizadas ao darem à luz. Continuam pessoas imperfeitas, inacabadas, em processo de amadurecimento e de sabedoria. Mães perdem a calma, a estribeira, a classe, o bom-humor. Mães se cansam, choram, ficam perplexas diante da gigantesca tarefa de orientar pessoas. Mães recebem, sem manual de instruções, bebês rosados, gorduchos e chorões nos braços aflitos. E delas se espera que tenham sempre a palavra certa, o grau exato de bom senso, de sabedoria, de saúde corporal, emocional e espiritual.
Nem sempre temos. Muitas vezes nossos próprios conflitos, mal resolvidos ou não resolvidos nos deixam cegas para o que está límpido e objetivo diante dos nossos olhos.
Toda essa fragilidade, no entanto, é compensada por uma grande capacidade de amar que acomete as mães, mal elas se sabem grávidas.
A tempestade hormonal que nos assola, o crescer meio desajeitado de nossos corpos, a pele esticada e manchada, a mudança de nosso eixo de equilíbrio, tudo é compensado pelo latejar imperceptível que percebemos em nosso ventre. Sabemos que uma vida é gestada dentro de nós, para nosso deleite e para nossa aflição.
A ciência pode mostrar passo a passo esse crescer, o ultrassom já visualiza contornos, gestos e expressões. Mas nada disso é necessário para quem agasalha uma vida em gestação. A cada dia os olhos do amor nos mostram carinhas e corpos já muito amados. A cada semana, sabemos que o fruto de nossas entranhas está maior, mais forte, melhor preparado para a vida aqui fora.
E então os recebemos. Ainda enrodilhados, de pele enrugada pelo contato com a água, chorando ao sentir os pulmões se abrindo para o ar da vida, sentindo o frio ou o calor do mundo aqui de fora. E o amor que os manteve crescendo saudáveis na barriga materna parece aumentar. Olhos de mãe que olham para o filho recém-nascido são transbordamentos de ternura, são cachoeiras de emoção.
E a partir daí é um exercício só de afeto, de superação de conflitos próprios e alheios, é acertar às vezes e errar muitíssimas outras, nessa aventura sem par de viver rodeada por filhos.
Minhas filhas e filho, filhos e filhas de meu filho e filhas, filhinhas amadas, filhas da filha de minha filha... tantas vezes quantas sou mãe, nesta lista de amores, amo vocês. Desajeitadamente, imperfeitamente, mas do tamanho exato do meu coração.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Bin Laden

       O anúncio da morte de Osama Bin Laden é destaque na midia. Líderes do mundo todo comentam o fato, esperado por mais de dez anos. Nem paredes reforçadas, nem arame farpado impediram a chegada da tropa de elite à fortaleza onde ele se escondia. Agora, até exame de DNA vai ser feito, para comprovar que se trata realmente do terrorista tão procurado.
       Por seu turno, Obama, nos Estados Unidos, é aclamado herói. Desgraça para uns, motivo de euforia para outros. Há os que dizem que o mundo não ficará mais seguro, mesmo com a morte anunciada de Bin Laden. Hillary Clinton diz que a batalha contra o terror continua. Um sucessor já aponta no cenário, e a vida continua. Nunca sem sobressaltos, pois já dizia o poeta que "viver é perigoso".

sábado, 30 de abril de 2011

Haja manicômio!

      Não sou nem um pouco fã do Datena, que no final da tarde fica vociferando no vídeo, fazendo campanha pela pena de morte e  aplaudindo quem faz justiça com as próprias mãos.
      Mas sou obrigada a concordar com ele num comentário que fez outro dia, no programa. Foi diante da encenação da  procuradora Deborah Guerner, acusada no caso do mensalão do DEM. Suspeita de tráfico de influência na Operação Caixa de Pandora, ela teria passado informações privilegiadas a integrantes do governo do Distrito Federal. No momento de ser levada à delegacia, ela encenou um surto psicótico, agredindo jornalistas.
      O apresentador disse que, se a moda pega, vai faltar hospício no Brasil para abrigar criminosos de colarinho branco fingido-se de dementes!
      É isso aí, seu Datena!
.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Dor de amor

O que poetas e enamorados sempre souberam e proclamaram aos quatro ventos, há séculos, agora é verdade científica: coração partido dói. E a dor é física, constatam os pesquisadores americanos que registraram como isso ocorre: a separação da pessoa amada causa atividade cerebral na mesma região responsável pela dor corporal.
 A dor da rejeição amorosa já foi cantada em verso e prosa, no que se costuma chamar de música de fossa ou de dor de cotovelo. Agora se sabe que, mesmo não se localizando exatamente no cotovelo, ela existe e causa sofrimento.
Deu na Veja de 27 de abril. Se quiser ler mais, acesse www.veja.com/dizoestudo.

sábado, 23 de abril de 2011

Motos

Garimpando a Veja da semana passada (antes que a de amanhã chegue!), ainda dá para detectar notas dignas de nota!
Se você, como eu, considera que ser motoqueiro é ter um tantinho menos de amor à vida, pela velocidade com que SEMPRE trafegam, pelas “costuradas” no trânsito, pelas ultrapassagens e “finas” à esquerda ou à direita do nosso pobre veículo de quatro rodas, suas (nossas) suspeitas têm fundamento. A sessão “Números” (pág. 57) mostra que o número de mortes de motociclistas aumentou em 754% em dez anos! Enquanto o número de mortes por acidentes de carro é de 32 por grupo de 100 mil veículos, no setor motoqueiros é de 88.
Seria bom se alguém lembrasse aos jovens e velozes que as leis de trânsito (e de segurança) se aplicam também aos veículos de duas rodas!

Equívoco

Também na Veja pode-se ler que há uma geração de brasileiros quarentões que nunca se casou, deixando para mais tarde  a situação de viver uma relação amorosa sob o mesmo teto. É um nicho de grande poder aquisitivo, com bons cargos, hobbies sofisticados e poder de consumo elevado. As justificativas para o celibato voluntário são várias, mas um deles tem uma visão um tanto quanto distorcida de uma vida a dois. Luiz Fernando Biagiotti, de 42 anos, acredita que vai ser difícil “trocar o vinho e o brie por suco de uva e requeijão”!!
O que leva o moço a pensar que as mulheres não sabem apreciar um bom vinho e queijo francês?

Chalita

Conta-nos o Estadão de hoje, 22 de abril, que Gabriel Chalita foi lançado como pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, em 2012, na legenda do PMDB.
Chama a atenção na biografia do político sua grande produção acadêmico-literária: aos 42 anos, ele já  escreveu 54 livros! Mesmo tendo começado aos 12 anos, como consta na "Trajetória" do ex-secretário de Educação do Estado de São Paulo, a conta é de 54 obras em 30 anos, o que dá quase dois livros por ano. Tem também graduação em Direito e em Filosofia, mestrado em Direito e  em Ciências Sociais e é doutor em Filosofia do Direito e em Comunicação e Semiótica.
Um prodígio.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Os reis também choram

Chega-me às mãos, para degustação,  a revista "Contigo" de 21 de abril. Suas páginas centrais prestam homenagem ao rei Roberto Carlos, pelos 70 anos de idade. Infelizmente, a essa homenagem foi acrescentada matéria sobre a morte prematura da enteada Ana Paula, filha de Nice, sua primeira mulher. Há um ano ele perdeu a mãe, dona Laura, por quem declarava pública e musicalmente seu carinho. Tudo isso sem contar a perda de Maria Rita, por ele proclamada como o amor de sua vida.
Na matéria, muitos famosos declaram sua devoção ao rei. Não sou um deles, mas quero também externar minha admiração pelo rapaz simples de Cachoeiro, cujas criações musicais embalaram nossos bailes e nossos romances.
Roberto não se envergonha de demonstrar sentimentos. Emociona-se e chora em público, quando a dor que o acomete se extravaza, liquefeita, nas lágrimas que todos veem. Assim age um homem. Assim age um rei!

domingo, 17 de abril de 2011

Sacerdote-fenômeno

As páginas amarelas da Revista Veja de 20 de abril trazem extensa entrevista com o padre Marcelo Rossi. Nela, o sacerdote fenômeno faz auto-promoção, lava a alma e um pouco de roupa suja, dizendo-se boicotado pela Arquidiocese de São Paulo, que o teria impedido de cantar para o papa. Critica os padres que usam carro importado e roupas de grife, alfineta o padre Fábio de Mello por não usar batina, etc e tal. Até aí, nada de mais, pois padres são pessoas humanas e como tais, estão sujeitos a esse tipo de mesquinharias e lamúrias.
O que me chamou a atenção foi a declaração do padre Marcelo sobre a batina, "a maior identidade sacerdotal. Acho um perigo não usá-la. A batina impõe respeito, é uma proteção _ inclusive contra o assédio das mulheres. Você não imagina a quantidade de besteira que eu ouço".
Não sei o que é pior para nós, mulheres: sermos classificadas como perigo em potencial ou como débeis mentais.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

O príncipe e a plebeia

Famílias reais, tronos e linhagens parecem exercer um eterno fascínio sobre nós, meros mortais. A mídia tem ressaltado o próximo casamento do príncipe inglês William com Kate Middleton, filha de uma ex-aeromoça. A moça já vive sob os olhares do mundo, que analisa suas roupas, modos e palavras. Deve ser exaustivo!
A magreza da moça também é motivo para altas especulações filosóficas: será transtorno alimentar? Será estresse pré nupcial?
De qualquer modo, já sabemos o trajeto a ser percorrido pelos noivos e outros detalhes assim importantes.
Ah! Em tempo: verifiquei a lista dos 600 chamados à recepção no Palácio de Buckingham. Meu nome não consta lá. Deve ter sido esquecimento...

A expressão mineira UAI

Estou vendendo o peixe pelo preço que comprei, não me responsabilizo pela veracidade das informações. Mas pode bem ser verdade, não? E a historinha é bem plausível!  Leia!

 Segundo o odontólogo Dr. Sílvio Carneiro e a professora Dorália  Galesso, foi o presidente Juscelino Kubitschek quem os incentivou a  pesquisar a origem da expressão UAI. Depois de exaustiva busca nos anais da Arquidiocese de Diamantina e em antigos arquivos do Estado de Minas Gerais, Dorália encontrou uma  explicação provavelmente confiável.
 Os Inconfidentes Mineiros, patriotas, mas considerados subversivos pela Coroa Portuguesa, comunicavam-se através de senhas, para se protegerem da polícia lusitana. Como conspiravam em porões e sendo quase todos de origem maçônica, recebiam os companheiros com as três batidas clássicas da Maçonaria nas portas dos esconderijos. Lá de dentro, perguntavam: _ Quem é? E os de fora respondiam: _UAI (as iniciais de União, Amor e Independência). Só mediante o uso dessa senha a porta seria aberta aos visitantes.
Conjurada a revolta, sobrou a senha, que acabou virando costume entre as gentes das Alterosas. Os mineiros assumiram a simpática palavrinha e, a partir de então, a incorporaram ao vocabulário cotidiano, quase tão indispensável como tutu e trem. Uai, sô...

Publicidade. Resistir quem há de?

Dê uma olhada no comercial, no link abaixo.
http://www.youtube.com/watch?v=BLGj6iSZvak
No fundo ele é um tantinho antiético pois as imagens primorosas mostram uma série de apropriações indevidas, mas é muitíssimo bem feito, original e criativo.
Muitas peças publicitárias, como esta, atingem o status de obras de arte pela concepção e pela realização.
E até me deu vontade de conhecer o carro! Exatamente o efeito que a publicidade quer provocar!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Doutores e doutores

O ex-presidente Lula recebeu, na quarta passada, dia 30, o título de doutor honoris causa da Universidade de Coimbra, Portugal.
Esse título é concedido a personalidades que se tenham destacado pelo saber ou pela atuação em prol das artes, das ciências, da filosofia, das letras ou do melhor entendimento entre os povos.
A Universidade de Brasília, por exemplo, concedeu essa honraria a ilustres brasileiros como Abdias do Nascimento, artista e ativista do movimento negro, a José Mindlin, bibliófilo, ex-secretário de Cultura, Ciência e Tecnologia de São Paulo, a Anísio Teixeira e Milton Santos, eméritos educadores, a Lygia Fagundes Telles e Jorge Amado, reconhecidos e amados escritores, a Dom Paulo Evaristo Arns.
Estou aqui confabulando com meus botões e fechos éclair, tentando descobrir o motivo pelo qual o galardão foi entregue a um homem que não se distingue em nenhum dos aspectos arrolados nas exigências da premiação e do qual não se pode dizer que tenha sido um paladino na luta pela livre manifestação do pensamento.
Me ajudem a entender, por favor!

domingo, 3 de abril de 2011

Você é inteligente?

Tenho visto esporadicamente “The Big Bang Theory”,  uma série de televisão americana sobre dois prodígios: um físico teórico (Sheldon Cooper) e um físico experimental (Leonard Hofstadter), que moram ao lado de uma atraente garçonete loira (Penny). A "nerdeza" e o intelecto puro de Leonard e Sheldon são comicamente contrastados com as habilidades sociais e o bom-senso de Penny, que não se assusta com o palavreado difícil e as conversas teóricas dos dois amigos. Do ponto de vista da interação e da resolução de problemas cotidianos, Penny dá show sobre os complicadíssimos gênios.  
Vieram-me à lembrança os estudos sobre inteligências múltiplas, de Howard Gardner (1985), cuja leitura nos fez ver a supervalorização dada pela escola e pela sociedade em geral a um tipo apenas de inteligência, em detrimento de outros. O raciocínio lógico-linguístico-matemático por muito tempo foi tido como tipo de inteligência perfeito e desejável.
Hoje se admite que os demais tipos são importantíssimos para a adaptação, a interação com os demais e a resolução de  problemas. A série mostra, com bom humor, que às vezes ser nerd não significa ter muita vantagem sobre quem faz da arte do viver descomplicadamente sua arma mais importante.

Quem disse que não fica?

Lembram-se do slogan que ajudou a eleger o palhaço Tiririca, que dizia "pior não fica" ? Pois fica. Segundo a Revista Veja (06 de abril), o nobre parlamentar acaba de contratar mais dois humoristas (José Américo Nicollini e Ivan de Oliveira), do programa A Praça é Nossa, para seus assessores. Cada um deles recebe 8000 reais de salário, sem comparecer ao trabalho. Que palhaçada unida e inteligente, não? E nós pagamos por mais essa comédia, que não tem graça nenhuma!

terça-feira, 29 de março de 2011

José de Alencar

Esse nosso vice _ que, segundo o noticiário do MSN foi o que mais tempo ficou como presidente interino, graças aos constantes passeios do então presidente Lula _ era para mim um ilustre desconhecido.
Acostumei-me a vê-lo nas páginas dos jornais e na TV mais como paciente na luta contra o câncer e menos como político.
Pois essa falha foi sanada pela matéria lida, que o mostrou como empresário de início humilde, avô carinhoso,  político ao lado de Tancredo e Jader Barbalho. Intrigante figura, de quem o Brasil guardará o sorriso constante, mesmo entre dores, e a determinação em manter-se vivo.

domingo, 27 de março de 2011

Amigos (mais uma vez!)

A Folha de S.Paulo de sábado, dia 26, traz excelente artigo do dr. Drauzio Varella que fala sobre isolamento, em casos extremos chamado de “solidão crônica”. Nesse mal, o indivíduo, num círculo vicioso, vai agravando o isolamento pela reação negativa aos estímulos e desenvolve “impressões depreciativas a respeito das pessoas com as quais interage”. Traduzindo: solidão, maus relacionamentos, mais solidão.
Do ponto de vista físico, o isolamento social aumenta o risco de doenças cardiovasculares, depressão e infecções, concentrações de cortisol e epinefrina na urina, estresse, maior susceptibilidade às infecções virais. A solidão interfere na qualidade do sono, causa fadiga e reduz a sensação de prazer.
É bom então lembrarmos da postagem feita há dias atrás: amigos são fundamentais para nossa saúde física e emocional. Vamos nos rodear deles. Se não pudermos ter “um milhão”, como queria o Rei, ao menos cultivemos como jóias preciosas todos os que vamos encontrando pelo caminho!

De OVNIs e pedágios

http://www.youtube.com/watch?v=6lrzYb1q4eQ

No endereço acima você pode ver um filme (logo taxado de falso) que mostra suposta nave alienígena descendo próxima à rodovia Marechal Rondon, velha conhecida dos motorista da região.
Mais do que a cena filmada e dos palavrões que recheiam 80% da fala do narrador, quero levantar uma hipótese sobre a escolha dos extraterrestres pela rodovia. Realmente ela é bonita, ampla, com pistas múltiplas e asfalto impecável. Mas é também muito cara. Esse conforto é cobrado em muitas praças de pedágio ao longo de seus quilômetros.
Quem sabe o pessoal (se verdadeiro) tivesse vindo aprender com os terráqueos a arrancar mais tributos de uma já multi-tributada população!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Você já sabia disso...mas vale a pena ler de novo!

Extraído de uma palestra realizada na Stanford University em Palo Alto, Califórnia acerca da conexão Mente-Corpo
O palestrante (Chefe da psiquiatria da Stanford) afirmou que, para a mulher, uma das melhores coisas que ela pode fazer pela saúde é nutrir a sua relação com amigas. As mulheres conectam-se de forma diferenciada e oferecem sistemas de apoio que ajudam a lidar com o estresse e experiências de vida adversas. O tempo com as amigas ajuda a criar mais serotonina, um neurotransmissor que ajuda a combater a depressão e que cria um sentimento de bem estar geral.
As mulheres compartilham seus sentimentos; os homens raramente sentam com um camarada e discutem como se sentem sobre determinadas coisas ou sobre o andamento de sua vida pessoal. Falam muito pouco sobre sentimentos.
As mulheres fazem isso o tempo todo. Compartilham a alma com as amigas, irmãs/mães e evidentemente isso faz bem à saúde.
O palestrante disse que passar o tempo com um amigo é tão importante para a nossa saúde quanto o exercício físico. Existe uma tendência a se pensar que, quando estamos nos exercitando estamos fazendo algo de bom para o nosso corpo, e que quando estamos com nossos amigos estamos jogando conversa fora, desperdiçando nosso tempo, o que não é verdade.
Toda vez que você estiver se divertindo na companhia de uma amiga, parabenize-se! Você está fazendo bem à sua saúde!